Comida para bebês – Saiba o que pode comer seu bebê

comida para bebês

Comida para bebês… Essa é um etapa muito linda para muitas famílias. Só que precisamos de muita calma, para que este novo evento seja um sucesso na vida de nosso filho.

Começar a dar outros tipos de alimentos além do leite materno, é um tema complicado. Depende, em grande parte, do grau de desenvolvimento do seu bebê.
Neste processo é necessário ser muito cuidadoso para andar no mesmo ritmo do desenvolvimento fisiológico do bebê.

Segundo a Associação Americana de Pediatria, os bebês deveriam começar a ingerir sólidos entre os 4 e 6 meses. Sendo 6 meses a idade ideal.

Além da idade, ele deve demonstrar alguns sinais de desenvolvimento antes de ser apresentado a novos alimentos.

Chama-se atenção para os seguintes posicionamentos da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP)

 

• Defende-se, juntamente com o Ministério da Saúde, a importância do
aleitamento materno até pelo menos 2 anos, sendo de forma exclusiva até os
6 meses, com introdução adequada de outros alimentos alimentação
complementar saudável em momento oportuno;

• Considera-se de vital importância a consulta com o médico pediatra (que em
momento algum é citado pelo documento do MS) para que nossas crianças
tenham o acompanhamento adequado de puericultura. Toda criança tem
direito a ter seu pediatra;

• A introdução precoce do leite de vaca integral, conforme citado no guia
alimentar do MS, difere do preconizado por nossos documentos revisados e
embasados cientificamente.

LEIA TAMBÉM:  Manual do Bebê Guloso 2 - Mais de 51 Receitas de Papinhas!

A fase certa para mudar a alimentação do bebê

Você saberá que o seu bebê está pronto para uma dieta sólida diversificada, quando esses sinais aparecerem:

A) O bebê já perdeu o reflexo de expulsão (que faz com que expulse a colher ou a comida de sua boca).
B) Tem interesse ou curiosidade quando vê outras pessoas comendo e tenta pegar os alimentos.
C) Mesmo que ainda necessite de apoio, é capaz de se sentar com bom controle da cabeça.
D) O peso do bebê dobrou desde o nascimento.

Quais alimentos oferecer

Banana:

A banana é uma das frutas que podem ser oferecidas ao bebê a partir dos 6 meses. Ela é rica em potássio, fibras e vitaminas, o que a torna uma ótima aliada para a saúde do pequeno. Além de evitar cãibras musculares, seu consumo ajuda a regular o intestino, o que pode ser ótimo para os pequenos que sofrem com a diarreia ou cólicas.

Maçã:

A maçã também pode ser introduzida na alimentação do bebê e é uma fruta rica em água, fibras e vitaminas. O consumo da maçã ajuda a soltar o intestino preso, sendo uma boa aliada para aqueles que sentem esse desconforto.

Pera:

A pera conta com vitaminas do complexo B, C e fibras, além de outros nutrientes em sua composição. Ela ajuda na retenção de cálcio, o que fortalece os ossos e melhora o sistema imunológico. Assim previne doenças e, de quebra, é de fácil digestão.

Melancia:

Já a melancia é rica em vitaminas como: ferro, cálcio e potássio. Além de ter 90% de água, ela ajuda a melhorar o funcionamento dos rins, impede a diabetes, fortalece os ossos e ajuda a produzir os anticorpos do bebê.

Melão:

O melão é mais uma opção para incluir no cardápio nessa fase, sendo rico em potássio, vitamina A e C e outros nutrientes. Entre seus diversos benefícios estão o aumento da resistência do sistema imunológico, proteção dos olhos, pulmões e fortalecimento dos ossos.

LEIA TAMBÉM:  Curso para Gravidas e Mães no Brasil - Dúvidas da Maternidade

Mamão:

O mamão é rico em ferro, cálcio, potássio e outras vitaminas. Sua ingestão ajuda a fortalecer o sistema imunológico do bebê, protege os olhos e diminui o colesterol ruim. Além disso suas fibras ajudam o funcionamento do intestino, aliviando o incômodo das crianças que têm problemas nesse sentido.

Laranja:

A laranja é rica em vitamina C, uma excelente aliada na hora de proteger o organismo de gripes, resfriados e outras doenças, turbinando o sistema imunológico. A fruta também tem fibras e proteínas em sua composição, as quais ajudam a normalizar o intestino preso.

Tire todas suas dúvidas sobre comida para bebês

 

 

 

Criamos o Curso Completo para lactantes

 

Como oferecer a comida para bebês

Dentre as dicas de quais alimentos oferecer, também é necessário saber como fazer isso.
Bom, o preparo mais indicado é sempre amassando as frutas para que virem papinhas e sejam fáceis de ingerir.

Não é recomendado oferecer frutas pequenas e arredondadas como a uva, porque pode ser fácil da criança se engasgar. E também não é indicado obrigar o bebê a comer mais do que ele consegue, sempre respeitar os seus limites.

 

 

Se você tem dúvidas de como e quais papinhas oferecer para seu bebê, vamos deixar aqui um E-book com mais de 70 sugestões. É só clicar no botão embaixo. 

 

 

71 Papinhas para seu bebê

 

Recomendações na hora de oferecer uma comida para bebês

Muitos pediatras orientam oferecer só o mesmo alimento durante uma semana, sem misturar com outros, dessa forma, você vai poder saber se o alimento causou alguma alergia no bebê.

Se o bebê rechaçar o alimento a primeira vez que foi oferecida, o ideal é oferecer varias vezes. O fato de ele não ter aceitado uma vez, não é sinônimo de que ele não gosta.

LEIA TAMBÉM:  Testes obrigatórios no recém nascido - Quando e por que fazer

Introduza um alimento novo, durante o dia, momento em que você possa observar o seu filho varias horas depois de ter comido.

O fato de você não gostar de um alimento não significa que ele também não vai gostar.

Gostou das dicas? Tenho certeza que mais papais e mamães vão gostar assim como você, aproveita para marcar as famílias para ficarem por dentro das nossas matérias.

Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria:  É consenso que o aleitamento materno é a base da alimentação nesse período, devendo ser oferecida de forma exclusiva nos primeiros seis meses de vida e mantida pelo menos até o segundo ano ou mais, sempre que possível.

Torna-se fundamental que gestantes e mães sejam melhor orientadas quanto aos benefícios da amamentação, devendo ser apoiadas para adesão à prática.

Ressalte-se que na impossibilidade do aleitamento natural no primeiro ano de vida, quando foi estimulada a relactação e não foi conseguida, há indicação de uso de fórmulas lácteas infantis, não sendo considerada adequada a introdução de leite de vaca não modificado, nesta faixa etária.

 

Quer comprar a Papinha do seu bebê feita em casa e com a melhor qualidade?

 

 

Entre em nosso grupo do Telegram

 

brinquedos

Assine as Dicas Exclusivas de Saúde e Bem-Estar

Sobre Dra. Diliagni Tellez Matos 67 Artigos
Especialista em Clinica Geral, com Pós-graduação em Medicina Alternativa, cursos de Acupuntura, Terapia Auricular, Fitofármacos e Tratamentos Alternativos da Medicina Quântica. Membro da Associação Brasileira de Terapeutas Holísticos.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta