Fratura Peniana, Manifestações Clinicas, Principais Causas

Fratura Peniana

 

Há uns dias compartilhei um link onde contavam sobre um acidente de um homem num motel, ele tinha sofrido uma fratura peniana. Muitas pessoas ficaram assombradas, pois a maioria desconhecia a possibilidade de poder acontecer tal fato.

Mas saiba que é possível sim, embora se fale pouco sobre o incidente, a verdade é que acontece e é descrito como umas das dores mais intensas que você seja capaz de imaginar. Embora seja conhecida por esse nome, na verdade não se trata de uma fratura propriamente dita, já que o pênis não tem ossos. O que ocorre é a ruptura da túnica albugínea, uma capa grossa que envolve as estruturas internas do pênis e permite sua ereção. Deixa explicar com mais detalhes.

O pênis é o órgão sexual masculino dos vertebrados. Ele possui função dupla, pois é através do pênis que o esperma e a urina são eliminados pelo canal da uretra. Logo, é um órgão que pertence ao sistema reprodutor e excretor.

 

Conheça a Arte de Durar Mais!

 

O pênis possui formato cilíndrico, com tamanho variável entre 10 a 18 cm estando ereto, e pode ser dividido em três partes:

Base ou Raiz: Porção inserida no interior do corpo.

Corpo: Maior porção do pênis, correspondente ao prolongamento do órgão.

Glande: Porção dilatada, conhecida como a cabeça do pênis, sendo a parte mais sensível. É envolvida por uma camada de pele retrátil, o prepúcio. O prepúcio pode ser removido através uma cirurgia denominada de circuncisão.

No ápice da glande, encontra-se a terminação da uretra, uma fenda por onde são liberados a urina e o esperma. Na região da glande são encontradas glândulas sebáceas. O tecido que forma o pênis tem a capacidade de se encher e esvaziar de sangue, permitindo a função erétil do órgão. Para isso, existem três estruturas cilíndricas:

Corpos cavernosos: Dois cilindros superiores localizados na posição dorsal ficam lado a lado ao longo do órgão. Eles são envolvidos por tecido conjuntivo denso.

Corpo esponjoso: Um cilindro na posição ventral que envolve a uretra. As suas extremidades formam a glande. É encoberto por tecido muscular.

Para que a ereção do pênis aconteça, ele precisa se encher de sangue. Essa reação acontece em resposta a algum tipo de estímulo erótico.

LEIA TAMBÉM:  Orgasmo feminino - Benefícios na Saúde da Mulher?

Os tecidos dos corpos cavernosos são semelhantes a esponjas e podem se encher de sangue. Quando isso acontece, o tecido erétil e esponjoso absorve o sangue, como um sistema inflável, e o pênis aumenta de tamanho e de volume.

A fratura do pênis é uma lesão na membrana interna do pênis, chamada túnica albugínea. Esta membrana circunda os corpos cavernosos, as duas câmeras que enchem de sangue no momento da ereção do homem. Esta túnica é capaz de ajudar a manter a firmeza da ereção, sendo capaz de manter o sangue nessas câmeras até o homem ejacular ou terminar a estimulação sexual.

Segundo as estatísticas nos países ocidentais a causa mais comum descrita é a relação sexual vigorosa fundamentalmente em determinada posição sexual. Já em países como Ásia, África e Meio Oriente a principal causa é a manobra de Taghaandan (uma técnica usada nesses países por alguns homens que consiste em o dobramento do pênis de forma forçada no momento da ereção com o objetivo de desintumescer o pênis ereto.

 

Manifestações clinicas

A fratura acontece quando ele está completamente ereto, e produz um som que se assemelha ao ruído de um osso se quebrando.

Em alguns casos, o homem só sente dor depois de um tempo. Mas pelo barulho é possível perceber que houve um rompimento da túnica albugínea.

 

Causas de fratura peniana

São citadas como principais causas de fratura de pênis:

Estima-se que entre 30% e 50% dos casos ocorram durante relações sexuais muito intensas.

Segundo especialistas, o caso típico da fratura acontece quando a mulher está em cima do homem durante o sexo e o pênis sai da cavidade vaginal: ao tentar penetrar novamente, se choca com o quadril da parceira, fazendo com que se dobre de maneira brusca e forçada.

Em alguns casos, o homem só sente dor depois de um tempo. Mas pelo barulho é possível perceber que houve um rompimento da túnica albugínea.

Alguns estudos indicam como outras causas da lesão movimentos de masturbação acelerados e bruscos em homens com problemas de ereção ou em jovens que se masturbam escondido com medo de serem flagrados.

LEIA TAMBÉM:  Especialista dá Dicas para Melhorar o seu Beijo

São descritas outas causas como lesões durante o sono. Também são citados casos de acidentes.

 

Sintomas de fratura peniana

O principal sintoma é a ocorrência de dor súbita e intensa durante o intercurso sexual, causando imediata perda da ereção. Acompanhado de inchaço e deformidade do membro, assim como a presença de um hematoma interno e externo O hematoma pode ser visto e palpado, e com o passar do tempo ocorre infiltração de sangue no pênis. Quando a fáscia de Buck for lesionada pode ocorrer infiltração para a base do pênis e escroto.

 

O que fazer

O tratamento inicial consiste em colocar gelo na região e utilizar analgésicos e anti-inflamatórios – mas a maioria dos pacientes acaba tendo de passar por uma cirurgia para consertar a ruptura na túnica albugínea.

È de vital importância acudir imediatamente ao medico, pois na maioria dos casos, o paciente é levado para exploração cirúrgica da lesão e reparo da ruptura da albugínea. A reparação cirúrgica produz o melhor resultado cosmético, impedindo que ocorra uma tortuosidade definitiva na haste peniana. Em média os pacientes chegam no hospital em cinco horas depois do trauma e a cirurgia deve ser realizada dentro das oito primeiras horas depois do trauma, fazendo desta entidade uma emergência médica para se obter o melhor resultado. Cerca de 20% dos pacientes tratados pela cirurgia imediata podem apresentar leve curvatura peniana, já nos casos tratados conservadoramente esse número é em torno de 50%.

 

Muitos ficam preocupados pelo futuro, mas fica calmo

Geralmente, no local da lesão é possível se palpar a área de fibrose. Diz-se que uma cicatriz está madura em torno dos três meses e fica mais resistente em um ano, mas há uma reparação imperceptível e constante ao longo da vida. É aconselhável não ter relações sexuais no primeiro e segundo meses do acontecimento, entretanto é impossível interromper a ereção noturna que os homens têm naturalmente durante o sono.

Quando a cirurgia não é indicada ou postergada, corre-se o risco que aconteça uma cicatriz mais intensa e desordenada para reparar o trauma, causando uma tortuosidade definitiva mais grave. Quando importante, o paciente obrigatoriamente deve ser submetido a cirurgia reparadora e que habitualmente é mais complexa, podendo ser necessários enxerto para retificação da haste peniana. A curvatura peniana causada pela reparação pode ser vista em menos de 10% dos casos e sempre é menor nos pacientes submetidos a cirurgia precocemente.

LEIA TAMBÉM:  Signos e Viagem: Descubra qual destino tem mais a ver com você, segundo os astros

Urologista afirmam que pode ocorrer abscesso peniano por contaminação bacteriana. As lesões associadas a trauma uretral devem ser reparadas ao mesmo tempo da fratura peniana para evitar que uma cicatrização não controlada invariavelmente evolui para um estreitamento definitivo da uretra, piorando o jato miccional e consequente dano a bexiga e até ao trato urinário superior. Alguns pacientes poderão apresentar dor durante as ereções noturnas depois do procedimento, mas normalmente desaparecem após três meses da cirurgia.

 

Principais complicações

O 90% das fraturas ocorre no terço proximal do pênis e em um dos corpos cavernosos. Quando ocorre ruptura também da uretra ou lesão na glande pode ocorrer sangramento uretral e o paciente sente aumento súbito do calor no pênis (sangramento pela uretra e ocorrem em 20% dos casos). Traumas raros e mais intensos, com ruptura anterior da albugínea, podem causar lesão nos nervos penianos dorsais, podendo causar disfunção erétil ou perda da sensibilidade parcial ou total, conforme a extensão da lesão dos nervos atingidos.

Entre os riscos, estão deformidade permanente do pênis, curvaturas com a ereção, dor nas relações sexuais e até quadros de impotência.

 

Conclusão

Ante esta situação é recomendado acudir ao médico o antes possível, tentando assim diminuir as possíveis complicações. È importante conhecer os sintomas e principais cuidados para assim evitar algumas complicações. A importância de não se automedicar e acudir a um centro de saúde imediatamente pode fazer muita diferencia no prognóstico e sequelas.

Acidentes sempre acontecem, as eles não são nem tão acidentais e nem tão inevitáveis. Mas a prevenção com certeza faz a diferencia.

“A sexualidade é um componente da boa saúde, inspira a criação e é parte do caminho da alma”.

Lembre-se de manter práticas sexuais saudáveis.

 

Assine as Dicas Exclusivas de Saúde e Bem-Estar

Sobre Dra. Diliagni Tellez Matos 67 Artigos
Especialista em Clinica Geral, com Pós-graduação em Medicina Alternativa, cursos de Acupuntura, Terapia Auricular, Fitofármacos e Tratamentos Alternativos da Medicina Quântica. Membro da Associação Brasileira de Terapeutas Holísticos.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta